.

PSICOLOGIA

O que é psicologia?

Esta costuma ser uma das perguntas mais feitas pelos iniciantes na Psicologia, é uma dúvida muito comum também para os leigos em geral. Há um erro de percepção sobre o que é a psicologia e o que faz o psicólogo, essa percepção errônea se deve principalmente ao modo como a mídia tratou a psicologia e, também, às controversas práticas de alguns profissionais da área.

A psicologia é tanto uma área de atuação (ciência aplicada) quanto uma área de pesquisa (ciência acadêmica) que estuda basicamente o comportamento humano e o funcionamento da mente humana. Os pesquisadores da psicologia têm como objetivo entender e explicar como funcionam os pensamentos, comportamentos e as emoções. Dentre as aplicações práticas da psicologia podemos citar como exemplos a seleção, recrutamento, ergonomia, tratamento de distúrbios mentais, auto-ajuda, melhorar a auto-eficácia, dentre muitas outras áreas que se envolvem diretamente com a saúde e o cotidianos das relações humanas.

 

 

Áreas da psicologia

A Psicologia é um campo muito amplo e diversificado e com o passar do tempo vimos emergir diferentes sub-campos e especializações na área psicológica. Abaixo seguem as principais áreas de pesquisa e aplicação dentro da Psicologia.

Psicologia do Anormal - É o estudo do comportamento anormal e  das psicopatologias. Aqui o principal foco é a pesquisa e o tratamento de uma ampla gama de distúrbios mentais e está ligada à psicoterapia e psicologia clínica. Os profissionais de saúde mental geralmente utilizam o CID-10 e o DSM-IV para diagnosticar distúrbios mentais.

Psicologia Biológica (Biopsicologia) - Estuda como os processos biológicos influenciam a mente e o comportamento. Esta área está fortemente ligada à neurociência e utiliza ferramentas como o MRI e PET scans para procurar por danos ou anomalias cerebrais.

 

Psicologia Clínica – Focada na avaliação, diagnóstico e tratamento de distúrbios mentais.

Psicologia Cognitiva - é o estudo do processo de pensamento e cognição. A psicologia cognitiva costuma estudar tópicos como atenção, memória, percepção, tomada de decisão, solução de problemas e aquisição da linguagem.

Psicologia Comparativa - ramo da psicologia relacionada ao estudo do comportamento animal. O estudo do comportamento animal pode levar a um entendimento mais amplo e profundo da psicologia humana.

Psicologia do Desenvolvimento - ramo da psicologia que pesquisa o desenvolvimento e progresso humano ao longo da vida. Suas teorias são focadas no desenvolvimento de habilidades cognitivas, morais, funções sociais, identidade e outras áreas relativas a vida.

Psicologia Forense - é um campo aplicado no uso das pesquisas e princípios da psicologia no sistema legal e criminal de justiça.

Psicologia Industrial-Organizacional - é a área da psicologia que usa pesquisa psicológica para aumentar o desempenho no trabalho, selecionar empregados, melhorar o design de produtos e melhorar a usabilidade, entre outros.

Psicologia da personalidade - pesquisa os vários elementos que formam a personalidade individual. As mais conhecidas teorias da personalidade incluem o modelo estrutural de personalidade Freudiano e o modelo dos cinco grande tipos (Big Five).

Psicologia Escolar - ramo da psicologia que trabalho dentro do sistema educacional para ajudar crianças com problemas emocionais, sociais ou acadêmicos.

Psicologia Social - é uma disciplina que use métodos científicos para estudar a influencia, percepção e interação social. A Psicologia social estuda diversos assuntos incluindo comportamento de grupo, percepção social, liderança, comportamento não-verbal, conformidade, agressão e preconceito.

Quando procurar um Psicólogo?

Muitas pessoas têm vontade de fazer psicoterapia, mas o preconceito e a vergonha de perguntar, as impedem muitas vezes de procurar um profissional. Quantas coisas de que realmente gosta você tem feito nos últimos dias? Ou está sempre buscando agradar aos outros,esquecendo-se de si mesmo? O quanto você se conhece? Essas são apenas algumas perguntas que muitos ficam confusos ao responder, pois tendemos a não nos conhecer interiormente.

Quando diante de alguma dificuldade, a maioria tende a procurar alguém, um bom amigo, uma cartomante, ou seja, alguém que ouça e ajude. Outros preferem ouvir música, jogar bola, dançar, tomar uma cervejinha com os amigos. Realmente tudo isso pode ser útil para superar as dificuldades, porém o alívio proporcionado é apenas momentâneo e superficial, quando não representa apenas uma fuga. Você já reparou que quando procuramos alguém para desabafar, o outro sempre tenta contar a sua própria história e ficamos com a sensação de que não fomos ouvidos? E naquele momento você precisava de alguém que o ouvisse com atenção e pensasse junto para aliviar a dor e ajudá-lo a trilhar um novo caminho. É nisto que o processo psicoterapêutico se difere.

A Psicologia, com suas técnicas científicas, pode realmente ajudar as pessoas a viverem melhor, pois o objetivo maior é o autoconhecimento. É preciso deixar claro que quando se procura um profissional, ele não está lá para dar conselhos, julgar, dizer se você está certo ou errado, mas sim para pensar junto e ajudá-lo a chegar na verdade, em quem você realmente é. O importante é procurar um profissional com sensibilidade para entender sua dor e que lhe faça sentir acolhido.

A origem de todas as dificuldades geralmente encontra-se na educação rígida da infância, naquilo que nos fizeram acreditar ainda crianças, na falta de demonstração de amor e confiança. Tudo isso gera adultos inseguros, sem auto-estima, auto-respeito e amor-próprio e com muito medo de se conhecerem. Assim, afastam-se cada vez mais de quem são realmente.

Acreditam na falsa ilusão que, ao olharem profundamente para dentro de si mesmos, descobrirão algo muito feio de se ver, o que na verdade é exatamente o contrário. Quando se conhecem, descobrem-se muito melhores do que um dia os fizeram acreditar e passam a se respeitar, acreditar em si mesmos e a se amar e isso faz toda a diferença!

Infelizmente, o preconceito mistura-se com a ignorância, fazendo com que muitos deixem de se beneficiar do trabalho terapêutico. Participar deste processo ainda é considerado "coisa de louco" quando, na realidade, a alienação de si mesmo é que se torna um dos grandes geradores de conflitos. Lembre-se que procurar ajuda terapêutica é um sinal de coragem e maturidade. Não de fraqueza, como muitos acreditam.

Dentro do contexto do trabalho terapêutico os sentimentos (que é o que temos de mais valioso) são respeitados acima de tudo. É uma hora em que toda atenção está voltada totalmente para você, fazendo com que se obtenha resultados mais profundos e duradouros. O psicólogo clínico pode, e muito, contribuir para que cada um chegue às causas de determinados comportamentos, levando a um conhecimento maior do seu próprio 'eu' e principalmente, resgatando sua auto-estima e amor-próprio.

Os professionais
CRP
CFP